«Então, mas cada membro do Governo trabalha à peça? É uma questão profundamente inquietante, que um secretário de Estado ou um ministro trabalhe por conta própria, à revelia do conhecimento do Governo e dos seus principais responsáveis. Se isso aconteceu, então é uma desautorização do próprio primeiro-ministro, que deve retirar as suas ilações», afirmou Jerónimo de Sousa, à margem de um encontro com a FENPROF (Federação Nacional de Professores), na sede comunista em Lisboa.












Redação