A deputada única do Livre, Joacine Katar Moreira, disse, em entrevista ao programa da TVI "Você na TV", nesta terça-feira, que antes de ser eleita para a Assembleia da República nunca foi alvo de manifestações xenófobas.

Joacine referia-se a comentários como "vai para a tua terra", que, segundo a própria, nunca ouviu até entrar "no universo da política".

É irónico que me mandem para a minha terra quando nunca me tinham mandado antes. Foi só entrar no universo da política para ser enviada para algum lugar. Da mesma maneira que quando vou passar ferias à Guiné-Bissau me dizem: 'tu não és daqui já'", contou.

 

Joacine assumiu, também, sentir-se magoada com quem defende que ela não deveria estar no Parlamento, acreditando, porém, que o ódio à sua volta não é geral nem espontâneo.

Especialmente, porque eu ainda não fiz nada de errado. Este ódio é um ódio que não está relacionado com algo que tenha feito. É um ódio que está a ser alimentado, organizado, não é um ódio espontâneo, mas também não é um ódio geral, é um ódio de alguns indivíduos, de determinadas alas e também de uma elite que não quer por nada deste mundo ter alguém igual a mim em lado nenhum. Tenho a certeza que por mais que eu andasse com as ideias com que eu ando, mas que se eu estivesse num hipermercado ou a arrumar escritórios iriam dizer: 'olha-me esta' e não me iriam dar importância nenhuma. O que as incomoda é que eu estou a ocupar um espaço que elas não decidiram que eu deveria ocupar."

Veja, nos vídeos abaixo, a entrevista completa de Joacine Katar Moreira a Manuel Luís Goucha.

Joacine Katar Moreira: "Isto é muito mais do que racismo"

Joacine Katar Moreira: "Ninguém estava à espera que uma mulher como eu estivesse na Assembleia da República"

Joacine Katar Moreira: "Se eu recuar a minha filha também vai recuar"

Joacine Katar Moreira: "Apoiamos o salário mínimo para os 900€"

Joacine Katar Moreira é mãe e está divorciada