O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, considerou esta sexta-feira que as prioridades do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) "estão erradas" e acusou o primeiro-ministro e o PS de "falta de visão de futuro".

É chocante ouvir, desde o congresso do PS em Portimão, as sucessivas entrevistas do primeiro-ministro e as intervenções de responsáveis políticos que falam do futuro de Portugal. Se retirarmos dessas intervenções as referências a fundos europeus, bazuca e PRR, há zero de visão de futuro. Todo o nosso futuro depende de fundos europeus. De dinheiro que vem de fora e do que vamos fazer com ele”, criticou João Cotrim de Figueiredo.

À margem de uma ação de campanha autárquica com o candidato da IL à Câmara de Leiria, Marcos Ramos, Cotrim de Figueiredo considerou que o “PRR é uma autêntica demonstração de como o primeiro-ministro e o PS não fazem ideia de como hão de fazer crescer Portugal” e que as prioridades daquele plano "estão erradas".

Em Leiria, o presidente da IL defendeu que a linha do Oeste é prioritária no plano ferroviário nacional porque serve toda a economia e classificou como "incrível" que não esteja contemplada no PRR.

Uma coisa é ter um plano ferroviário nacional que possa efetivamente servir os interesses não só das populações, mas da economia como um todo. Desse ponto de vista não tenho dúvida absolutamente nenhuma que esta linha é prioritária. A linha do Oeste, a sua modernização e eletrificação é absolutamente central”, adiantou João Cotrim de Figueiredo.

 

Ouvir o Marcos Ramos dizer que esta é uma linha que é, sobretudo, usada para ir para a praia, acho excelente, mas é um desperdício de potencial mais uma vez. Devo dizer com algum tristeza que, concelho após concelho neste ‘tour’ autárquico, é impressionante o número de situações onde há ideias que não saem do papel”, referiu.

Isto, porque, disse o presidente do IL, “não há uma visão integrada de desenvolvimento do país que permita responder a uma pergunta que todos os portugueses e todos os políticos, sobretudo, deveriam estar a tentar responder: por que é que Portugal não cresce? Outros conseguem crescer e nós não conseguimos”.

Segundo o líder do IL, “num contexto em que se pretende descarbonizar e tornar as acessibilidades mais práticas e mais fáceis”, o papel da ferrovia é também permitir que “qualquer pessoa que aterre em Portugal tenha facilidades em chegar a Leiria”

Nesta iniciativa, João Cotrim de Figueiredo mostrou-se satisfeito pelo “adesão das camadas mais dinâmicas, mais jovens e mais qualificadas da população às ideias da IL”.

Agência Lusa / CE