O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai ser agraciado com a Legião de Honra francesa, grau de Comendador, numa distinção que o governante português atribui ao "excelente relacionamento entre Portugal e França".

As nossas duas Forças Armadas têm trabalhado muito em conjunto, aliás isto vem intensificar-se com a missão Takuba no Mali, e, portanto, vejo [a distinção] como uma interpretação francesa do excelente relacionamento entre Portugal e França no âmbito da Defesa", disse João Gomes Cravinho em declarações à Agência Lusa.

O ministro português está em França até quinta-feira para um encontro entre os países que participam na força Takuba, no Mali, para assistir ao tradicional desfile militar do 14 de julho e ainda para uma reunião bilateral com a ministra da Defesa francesa, Florence Parly.

A Legião de Honra é a mais alta distinção francesa e tem cinco diferentes graus: Grã-Cruz, Grande-Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro. A Legião de Honra tem uma Ordem, onde só são admitidos cidadãos franceses agraciados, sendo que os estrangeiros podem receber à mesma esta distinção, mas sem integrar a instituição.

É uma honra que resulta da proximidade entre Portugal e França no domínio da Defesa. Associo também à recente presidência da União Europeia na medida em que a carta cita o contributo para a identidade europeia de Defesa", justificou o ministro.

As figuras agraciadas pela Legião de Honra são normalmente nomeadas por diferentes ministros e a distinção é atribuída pelo Presidente da República, neste caso, Emmanuel Macron.

Em 2014, o cineasta Manoel d'Oliveira recebeu no seu 106º aniversário a Legião de Honra, com o grau de Grande-Oficial.

/ RL