O “Deus e Diabo” analisou esta sexta-feira a polémica em torno da contagem integral do tempo de serviço dos professores, que dominou a agenda política nos últimos dias, e fez a prova dos nove: quem disse a verdade e quem mentiu? O “Deus e o Diabo concluiu que há um ano e meio que António Costa, Rui Rio e Assunção Cristas estão a dizer “meias verdades” para conquistar votos.

António Costa criou expectativa que estava disponível para aceitar a proposta dos professores em dezembro de 2017 quando foi aprovado um projeto de resolução para ser contado todo o tempo de serviço dos professores. PSD e CDS abstiveram-se, Governo e PS compraram tempo. Rui Rio também foi “ator nesta novela de terceira categoria” e Assunção Cristas disse mais ou menos a mesma coisa que o líder do PSD.

Os números em causa deram que falar. Apesar de a matemática ser uma ciência exata, aqui houve números para todos os gostos. A diferença tem a ver com os descontos em sede de IRS e com os descontos para as pensões.

O comentador da TVI e diretor do jornal Eco António Costa esteve no programa desta sexta-feira para esmiuçar melhor estas contas e não tem dúvidas: “O correto é considerar os 804 milhões de euros em valores brutos”.

O “Deus e o Diabo” concluiu que António Costa foi o único que, nesta polémica, soube jogar xadrez.

António Costa que é o “campeão” das nomeações, nos últimos dez anos, ou seja, é o primeiro-ministro que fez mais nomeações na última década com um total de 3.300 nomeações.

O programa desta sexta-feira analisou também a nova lei aprovada pela comissão para o reforço da transparência dos deputados e de outros responsáveis de cargos políticos, que mais parece querer esconder o que deveria ser público.

A tensão entre o Governo e a Altice por causa do SIRESP, o pré-aviso de greve dos motoristas de matérias perigosas e a situação na CP foram outros dos temas em destaque esta sexta-feira.

O medico António Vaz Carneiro, que afirmou que a homeopatia "são copos de água a 50 euros" esteve também no programa "Deus e o Diabo" para explicar estas e outras declarações polémicas.