Os governos português e canadiano vão assinar um acordo sobre mobilidade para estudos e trabalho de jovens entre os 18 e os 25 anos, disse hoje à agência Lusa o secretário de Estado das Comunidades.

José Luís Carneiro falava à agência Lusa antes de o primeiro-ministro participar numa receção no Centro Português Recreativo Lusitânia, em Otava - primeiro ponto de uma visita oficial de quatro dias que António Costa efetua ao Canadá.

Na quarta-feira, o Grupo Parlamentar do PSD apresentou um requerimento no qual se exige ao Governo que resolva várias questões da comunidade portuguesa no Canadá, desde a existência de um elevado número de cidadãos indocumentados, até a questões de atrasos no relacionamento com os serviços de Segurança Social.

José Luís Carneiro defendeu que todas as questões levantadas pelos sociais-democratas "têm sido objeto de tratamento sistemático" por parte do atual Governo e salientou que esta visita ao Canadá do primeiro-ministro permitirá "dar um passo significativo ao nível da mobilidade de cidadãos", sobretudo dos mais jovens.

No que respeita à Segurança Social, a questão terá uma evolução com uma declaração comum dos governos de Portugal e do Canadá", adiantou o secretário de Estado das Comunidades, que também referiu que este tipo de problemas de morosidade "já exista com o executivo anterior" PSD/CDS-PP.

É um problema que os deputados do PSD conhecem há vários anos", completou.

Cidadãos indocumentados

Quanto ao assunto relativo aos cidadãos indocumentados, José Luís Carneiro considerou "incompreensível que o PSD "levante este tema de grande sensibilidade".

Temos mantido um diálogo permanente com o poder legislativo e com o ministro da emigração canadiano. É uma questão complexa - e o PSD sabe isso perfeitamente. Já há medidas de flexibilização para a sua regularização", disse o membro do Governo.

O secretário de Estado das Comunidades também recusou a crítica do PSD sobre uma alegada degradação dos serviços consulares portugueses em Toronto, onde reside o maior número de portugueses (um total de 450 mil no Canadá).

Os serviços consulares de Toronto têm sido reforçados. Não se pode falar em degradação", contrapôs José Luís Carneiro, antes de acrescentar que, durante a visita do primeiro-ministro ao Canadá, serão também adotadas medidas para o reforço do ensino da língua portuguesa.