O PSD vai convidar o advogado José Miguel Júdice a explicar na comissão da Assembleia Municipal de Lisboa (AML) que acompanha o processo de requalificação da frente ribeirinha os motivos pelos quais abandonou a Sociedade Frente Tejo, escreve a Lusa.

«Vamos convidar o dr. José Miguel Júdice a ir à comissão de acompanhamento da zona ribeirinha porque aparentemente ninguém sabe porque é que deixou a sociedade», disse o líder da bancada do PSD na AML, Saldanha Serra.

O deputado municipal considera que «seria útil perceber-se porque que é que as coisas se passaram desta maneira».

Júdice reiterou na segunda-feira que só contará num livro as razões pelas quais abandonou a gestão da sociedade da frente ribeirinha, negando que tenha saído em ruptura com o presidente da Câmara, António Costa (PS).

Líder da bancada do PSD na AML condena apresentação aos media

Saldanha Serra condenou a apresentação à comunicação social do plano de intervenção para a frente ribeirinha elaborado pela Câmara no sábado, afirmando que o vereador do Urbanismo, Manuel Salgado (PS), recusou explicar o plano na comissão da AML.

«Preferiu, mais uma vez, uma iniciativa mediática a uma iniciativa esclarecedora», afirmou.

Para Saldanha Serra, «este plano é uma desilusão, com intervenções que na prática já estavam previstas».

«A única novidade são as piscinas com ondas artificiais, que parece uma proposta daquelas que se faziam nas eleições para as associações de estudantes de construir uma piscina no telhado da escola», argumentou.

O deputado diz-se ainda «pouco confortável» com as garantias de que não haverá construção na frente ribeirinha, referindo que «o próprio vereador Manuel Salgado é [enquanto arquitecto] autor de um projecto em cima do rio».
Redação / MM