O deputado José Silvano é o novo secretário-geral do PSD, anunciou o partido, num comunicado à imprensa. Começará a exercer funções "de imediato", depois da demissão de Feliciano Barrreiras Duarte, anunciada no domingo à noite, na sequência de duas polémicas envolvendo o seu currículo e subsídios que recebeu enquanto deputado.

A nomeação de José Silvano para secretário-geral do partido agora liderado por Rui Rio "deverá ser ratificada na próxima Comissão Política Nacional", a 28 de março, adianta o mesmo comunicado. Esta escolha terá ainda de passar pelo crivo do Conselho Nacional do PSD.

Deputado, licenciado em Direito, 61 anos, foi ele que negociou a lei de financiamento dos partidos em nome do PSD. Foi presidente da câmara de Mirandela, liderou a Misericórdia da cidade e é um homem próximo de Rio.

Este foi mais um problema para o líder do PSD resolver, depois da polémica sobre as irregularidades no currículo de Barreiras Duarte se ter arrastado por vários dias e ter caído em cima de toda a direcção social-democrata. sS na noite de domingo, o secretário geral apresentou a rui rio um pedido irrevogável de demissão, anunciada em comunicado, mas mesmo assim convencido da tese da cabala contra si.

O semanário Sol noticiou no sábado anterior que Feliciano Barreiras Duarte teve de retificar o seu currículo académico para retirar o item que o indicava como professor convidado (visiting scholar) na Universidade de Berkeley, na Califórnia, Estados Unidos.

Na terça-feira, a Procuradoria-Geral da República remeteu para inquérito no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa os elementos que recolheu sobre o caso. Nesse dia, à noite, em comunicado, o secretário-geral do PSD reiterou que “nada fez de errado” e que irá “esperar serenamente” os resultados do inquérito aberto pela Procuradoria-Geral da República ao caso do seu currículo.

Neste último sábado surgiu uma nova polémica, com o Observador a noticiar que Feliciano Barreiras Duarte, durante pelos menos os nove anos em que esteve na Assembleia da República, a morar em Lisboa, recebeu um subsídio de ajudas de custo e despesas de deslocação, como se vivesse no Bombarral, onde moram os seus pais. Entretanto o secretário-geral do PSD veio dizer que tinha no Bombarral a sua morada fiscal.

O currículo do sucessor

José Silvano é natural de Vila Real, tendo exercido a maior parte da sua vida profissional e política em Mirandela, onde foi, para além de presidente da câmara, presidente da Assembleia Municipal e deputado. Presidiu ainda ao conselho de administração de várias empresas locais e regionais.

Licenciou-se em Direito, na Universidade de Coimbra. Chegou a ser vice-presidente da Mesa da Assembleia Magna da Associação Académica de Coimbra, em 1982.

Já no PSD, foi presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Bragança, presidente da Comissão Política Concelhia de Mirandela, vogal da Comissão Política Nacional do PSD e membro do Conselho Nacional.

Atualmente, é deputado à Assembleia da República e pertence a várias comissões parlamentares, entre as quais a Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos Liberdades e Garantias e a Comissão da Saúde, Trabalho e Segurança Social.

Integra ainda, como coordenador, a Comissão Eventual  para o Reforço da Transparência no Exercício de Funções Públicas e é membro da Comissão Eventual de Acompanhamento do Processo de Definição da “Estratégia Portugal 2030”.