José Sócrates garante que não se vai calar sobre a política, apesar de não se querer envolver de novo. “Não, não não”, garantiu o ex-governante, na segunda parte da entrevista exclusiva transmitida no Jornal das 8 da TVI.

“Não, não passou, não passou. Se era essa a motivação, estavam equivocados. Agora, não me vou calar sobre a política, não, isso não vou fazer”.




primeira parte da entrevista

“Nem compreendo como é que alguém pode, no seu bom juízo, numa cultura democrática, aceitar separar a legitimidade política da legitimidade constitucional. Não, em democracia só há uma legitimidade, a legitimidade constitucional”.

 

“Não é primeiro-ministro vírgula, é primeiro-ministro ponto final”


“Por isso, é muito importante que a direita meta na sua cabecinha isto: não é primeiro-ministro vírgula, é primeiro-ministro ponto final.”





Presidenciais “Não sei em quem vou votar”


“Nunca tive simpatia pelo kitsch político, por aqueles que gostam de agradar a todos os auditórios, dizem uma coisa num auditório e outra noutro, isso tudo é um decor que passará rápido.”


“Acho que há aqui uma tendência que é muito favorável a Marcelo Rebelo de Sousa, que é transformar estas presidenciais numas eleições de segunda ordem. Isso é um erro. E acho que o Partido Socialista deveria refletir sobre isso. O PS não pode ficar ausente destas presidenciais”