O PCP responsabilizou, esta sexta-feira, PS e PSD por tratarem um «importante cargo» como o de provedor de Justiça como uma «coutada» entre os dois partidos, aprovando o avanço de uma proposta abrangente a todo o Parlamento, refere a Lusa.

O líder parlamentar do PCP, Bernardino Soares, salientou que PS e PSD «nunca contactaram nenhum outro partido», escusando-se a comentar o nome proposto pelos socialistas.

Quanto ao fim das negociações bilaterais entre socialistas e sociais-democratas e o consequente avanço de uma proposta abrangente a toda a Assembleia da República, o deputado comunista sustentou que «é a forma como [a questão da escolha do provedor de Justiça] devia ser tratada desde o início e não foi».