As eleições legislativas de 2019 apontam para valores entre os 43,4% e 47,49%, segundo uma projeção da TVI, em números referentes apenas à totalidade dos 10,8 milhões de eleitores.

Com a atualização dos cadernos eleitorais, estas eleições legislativas contam com mais 1,1 milhões de eleitores, relativamente às legislativas de 2015. Em 2019, existem 10,8 milhões de pessoas recenseadas, face às 9,6 milhões de votantes de há quatro anos, o que deverá fazer subir o número de votantes.

Nos últimos dados oficiais, mais de quatro milhões de pessoas já tinham votado até às 16:00 deste domingo, o que representa 38,59% dos 10,8 milhões de eleitores inscritos, segundo informação do ministério da Administração Interna (MAI).

De acordo com o MAI, a afluência média às urnas nas eleições legislativas estima-se em 38,59%, o que corresponde a 4,17 milhões de votantes.

Nas últimas eleições legislativas, realizadas em 4 de outubro de 2015, com um universo de 9,6 milhões de eleitores, a afluência média às urnas à mesma hora estimava-se em 44,38%, o que correspondia a cerca de 4,2604 milhões de votantes.

Mais de 10,8 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro são chamados às urnas para escolher a constituição da Assembleia da República na próxima legislatura e de onde sairá o novo Governo.

Segundo a secretaria-geral do MAI, podem votar para as eleições deste domingo 10.810.662 eleitores, mais cerca de 1,1 milhões do que nas anteriores legislativas, em 2015, devido ao recenseamento automático no estrangeiro.

Esta foi 16.ª vez que os portugueses foram chamados a votar em legislativas, concorrendo a estas eleições um número recorde de forças políticas – 20 partidos e uma coligação – embora apenas 15 se apresentem a todos os círculos eleitorais.

No total, são eleitos 230 deputados numas eleições que, ao longo dos anos, têm vindo a registar um aumento da taxa de abstenção.

Em 2015, a taxa de abstenção atingiu o recorde de 44,4%, comparando com os 8,3% nas eleições para a Assembleia Constituinte, em 1975, ou os 16,4% das primeiras legislativas, em 1976.