Se as eleições fossem hoje, o PS venceria as eleições legislativas com 40,6% dos votos, contra 26,6% do PSD, de acordo com a sondagem diária feita pela Pitagórica para a TVI, Jornal de Notícias (JN) e rádio TSF.

A recolha da informação desta sondagem diária – tecnicamente designada por tracking poll - foi feita entre terça e sexta-feira, logo a seguir  ao debate entre Rui Rio e António Costa e à divulgação de uma sondagem pela TVI/JN/TSF que dava 39,2% ao PS e 23,3% ao PSD.

Isso quer dizer que os socialistas reforçam a sua votação em 1,4 pontos percentuais, mas a recuperação mais forte é registada pelo Partido Social Democrata, que sobe 3,3 pontos percentuais.

De acordo com os dados recolhidos pela Pitagórica, quando se pede aos entrevistados que avaliem se as notícias/debates/entrevistas mudaram a opinião sobre os candidatos, Rio é claramente o candidato favorecido com um saldo positivo (mais entrevistados que melhoraram a opinião versus os que os pioraram a opinião) de 18,4 pontos percentuais  Em sentido contrário, António Costa regista um saldo negativo de 8,4 pontos percentuais, numa semana marcada pelo regresso da polémica em torno das golas, que levou à demissão do secretário de Estado da Proteção Civil.

O partido mais penalizado esta semana foi o Bloco de Esquerda que perde 1,2 pontos percentuais das intenções de voto face à sondagem de segunda-feira. Passando assim de 10% para 8,8%. A perder força está também a CDU (passa de 7,7% para 6,8%) e o CDS-PP (de 5,6% na segunda-feira para 5,2% hoje). Já o PAN sobe nas intenções de voto, passando de 3,2% para 3,6%.

Indecisos em queda

De referir ainda que, de acordo com esta sondagem diária, o número de indecisos desce 5,3 pontos percentuais e é agora de 22,4%.

Os inquiridos foram também questionados sobre quem está a surpreender, pela positiva e pela negativa. Pela positiva, 9,8% dos inquiridos elege Catarina Martins como a melhor surpresa, seguida de André Silva, do PAN, com 7,3% e de António Costa com 5%. Pela negativa, o pódio é liderado por André Silva (13,2%), seguido por Assunção Cristas (12,5%) e por Rui Rio (9,8%).

Cerca de 62% dos entrevistados não quer maioria absoluta

Outra questão colocada prende-se com a maioria absoluta. A grande maioria dos entrevistados, 61,8%, manifesta-se desfavorável a uma maioria absoluta e apenas 29,8% defende este resultado eleitoral no dia 6 de outubro.  

Esta sondagem foi feita com uma amostra de 600 entrevistas que para um grau de confiança de 95,5% corresponde a uma margem de erro máxima de ±4,07%. Vai ser divulgada até ao dia 4 de outubro, dando conta da oscilação das intenções de voto até à véspera das eleições

Ficha Técnica da sondagem diária  

Durante 4 dias (17 a 20 de Setembro 2019) foram recolhidas diariamente pela Pitagórica para a TVI, o JN e a TSF uma sub-amostra de 150 entrevistas representativa do universo eleitoral português (não probabilístico) tendo por base os critérios de género, idade e região.

O resultado do apuramento dos quatro últimos dias de trabalho de campo, implica uma amostra de 600 indivíduos que, para um grau de confiança de 95,5%, corresponde a uma margem de erro máxima de ±4,07%. A seleção dos entrevistados foi  realizada através de geração aleatória de números de “telemóvel” mantendo a proporção dos três principais operadores identificados pelo relatório da ANACOM, sempre que necessário são selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral. As entrevistas são recolhidas através de entrevista telefónica (CATI – Computer Assisted Telephone Interviewing).

O estudo tem como objetivo avaliar a opinião dos eleitores portugueses, sobre temas relacionados com as eleições, nomeadamente os principais protagonistas, os momentos da campanha bem como a intenção de voto nos vários partidos.

A taxa de resposta foi de 60,06% e a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva. A Ficha Técnica completa bem, como todos os resultados, foram disponibilizados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social que os disponibilizara oportunamente para consulta online.

Vasco Rosendo