O vereador do Ambiente na Câmara de Lisboa, José Sá Fernandes, anunciou esta quarta-feira que vai recorrer do acórdão que condenou por corrupção o empresário Domingos Névoa, por considerar que a pena é «desajustada» ao crime praticado.

«A pena é desajustada ao crime que foi praticado. Continuo a valorizar muito a própria condenação. Foi importante que tenha sido acusado», disse Sá Fernandes aos jornalistas, à margem da conferência de imprensa que se seguiu à reunião do executivo municipal.

O sócio-gerente da Bragaparques Domingos Névoa foi condenado a 23 de Fevereiro à multa de 5.000 euros, a pagar durante 25 dias, à razão de 200 euros por dia, pelo crime de corrupção activa para a prática de acto lícito.

O vereador, assistente no processo, foi o alvo da tentativa de corrupção, ocorrida em 2006.

Domingos Névoa pretendia que José Sá Fernandes desistisse da acção popular que tinha interposto contra o negócio da permuta dos terrenos do Parque Mayer, propriedade da Bragaparques, pelos da Feira Popular, propriedade da autarquia lisboeta.