O deputado do Bloco de Esquerda Luís Monteiro, acusado de violência doméstica, anunciou esta quarta-feira a sua desistência como cabeça de lista à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. 

Monteiro sublinha, no entanto, que continuará a desempenhar as suas atuais funções na Assembleia da República e no Bloco de Esquerda. Uma decisão tomada, após consultar a direção do partido. 

Face ao efeito público das calúnias lançadas contra mim e após ponderação, solicitei à comissão coordenadora concelhia do Bloco de Esquerda de Vila Nova de Gaia a minha substituição como cabeça de lista à Câmara Municipal nas próximas eleições autárquicas”, pode ler-se numa nota enviada à TVI.
 

O deputado garantiu ainda afastar-se da participação na lista candidata à Mesa Nacional que será eleita na XII Convenção do Bloco de Esquerda.

deputado já tinha negado as acusações de violência doméstica de que foi alvo e garantiu que “nunca agrediu qualquer mulher”, afirmando ter sido ele “vítima de agressões sucessivas, violência verbal e ameaças” ao longo desse namoro.

Na sequência, disse ainda que iria apresentar uma queixa contra a ex-namorada.

Também o Bloco de Esquerda reiterou que “a violência é inaceitável” e que “o recurso à justiça é a forma de apurar factos e punir abusos”.

Numa curta posição oficial do partido enviada à agência Lusa, o BE assegura que “mantém a mesma posição em todas as circunstâncias”.

A violência é inaceitável, as vítimas devem ser protegidas e o recurso à justiça é a forma de apurar factos e punir abusos”, defendeu o partido.

/ HCL