O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, anunciou, esta sexta-feira, que vai renunciar ao mandato "antes do prazo legal e obrigatório", para se candidatar à presidência do Governo da Madeira nas eleições de 22 de setembro de 2019.

"Vou fazê-lo antes (do prazo estipulado por lei). Não posso ainda me comprometer com um dia, mas posso garantir que os funchalenses serão os primeiros a saber", disse o autarca à agência Lusa, na sequência do anúncio da data das eleições legislativas de 2019, feito hoje pelo Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa indicou que as eleições para a Assembleia da República serão em 06 de outubro e as eleições para a Assembleia Regional da Madeira duas semanas antes, dia 22 de setembro.

Eu sempre disse que a minha saída da Câmara Municipal do Funchal teria de esperar pela decisão do Presidente da República sobre a data das eleições. Estando agora marcadas, estão também reunidas todas as condições para, com toda a responsabilidade, mas também toda a serenidade e o respeito que tenho pelos funchalenses, de tomar essa decisão e avaliar quando que sairei da câmara", disse Paulo Cafôfo.

O autarca foi eleito em 2017 pela coligação Confiança (PS/BE/PDR/Nós, Cidadãos!) e cumpre atualmente o segundo mandato, depois de ter derrotado o PSD em 2013, após cerca de quarenta anos de governação camarária ininterrupta.

"Quero dizer que vou renunciar ao mandato e que essa renúncia será sempre antes do prazo legal e obrigatório para o efeito", declarou Paulo Cafôfo, realçando ainda que vai concorrer à presidência do Governo Regional da Madeira nas listas do PS, mas como independente.

Cafôfo sublinha, por outro lado, que a sua saída da Câmara Municipal do Funchal não implica a realização de eleições intercalares, pois os compromissos da sua equipa "estão a ser cumpridos e tem de continuar a ser cumpridos".

"Acreditamos que temos todas as condições para, com estabilidade política, dar continuidade a este projeto para o Funchal", afirmou.

O calendário eleitoral definido pelo chefe de Estado foi anunciado através de uma nota no portal da Presidência da República na Internet, na qual se lê que "os decretos presidenciais fixando as datas destas eleições serão publicados oportunamente no ano que vem".