O ministro da Administração Interna disse esta quarta-feira que o governo pretende alterar os vistos gold, mas estas mudanças devem ser olhadas com moderação devido ao investimento no imobiliário, que foi de cerca de 650 milhões de euros em 2019.

O compromisso está no programa do Governo. Isto [vistos gold] vai ser alterado quer relativamente às finalidades, quer à distribuição territorial, mas temos de ter consciência daquilo que estamos a falar", disse Eduardo Cabrita no âmbito da discussão na especialidade do Orçamento do Estado para 2020 na Assembleia da República.

O ministro avançou que os vistos gold permitiram mais de 700 milhões de euros de investimento em 2019, cerca de 650 milhões dos quais em imobiliário, sobretudo nos concelhos de Lisboa, Oeiras, Cascais e Sintra.

O governante precisou que no Orçamento do Estado deste ano está prevista uma avaliação do regime das Autorizações de Residência para Investimento, conhecido como vistos gold, com o objetivo da sua alteração, "designadamente no modelo de dissimilação do investimento no interior".

Devemos olhar com ponderação", frisou.

Eduardo Cabrita afirmou que os vistos gold tiveram "o efeito relevante de atração de investimento e de requalificação urbana", além de "alguma dimensão de criação de emprego".

De acordo com o ministro, 20 dos 28 países da União Europeia têm mecanismos de atribuição de residência com base de mobilização de investimento