O Presidente da República acredita que as manifestações agendadas para sexta-feira, sob o lema "Vamos parar Portugal", vão ser pacíficas, recordando que os cidadãos também podem manifestar o seu agrado ou desagrado nas legislativas de 2019.

Questionado sobre esses protestos, inspirados no movimento francês "coletes amarelos", Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que "a situação em Portugal é diferente da situação em França".

A França, vincou, "teve sempre revoluções sangrentas. Portugal teve uma Revolução dos Cravos. Portanto, em Portugal, sabemos compreender que as razões de queixa e indignação e protesto devem ser expressas pacificamente".

Uma coisa é a manifestação pacífica, que é timbre de Portugal, outra coisa é a violência que assistimos noutros países", acrescentou.

O Presidente da República frisou ainda que dentro de alguns meses há eleições europeias e legislativas, nas quais as pessoas "podem exprimir o seu agrado ou desagrado, em relação às instituições e aos partidos".

Os protestos marcados para sexta-feira em várias cidades do país por grupos de cidadãos são inspirados no movimento "coletes amarelos" em França, que se manifestam contra o elevado custo de vida, e que já originaram violentos confrontos entre manifestantes e polícia.

As manifestações de sexta-feira estão a ser organizadas através das redes sociais, nomeadamente páginas no Facebook.

/ CE