O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, chegou de “surpresa” a Portalegre, nas vésperas de cumprir o programa oficial das comemorações do 10 de Junho naquela cidade alentejana, com o objetivo de "chamar à atenção" para as questões do interior. 

É chamar à atenção para aqueles `portugais` esquecidos, muitas vezes não são desconhecidos, são conhecidos mas esquecidos e que são tão ou mais importantes do que os `portugais` metropolitanos", disse.

Questionado sobre o porquê da escolha de Portalegre para oficialmente abrir as comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, Marcelo afirmou que foi uma decisão com "vários significados".

Este 10 de Junho é cheio de vários significados. O primeiro não pode deixar de ser um culto da pátria, o respeito e a gratidão às Forças Armadas, bem testemunhadas no dia de hoje. Eu felicito vivamente as forças armadas portuguesas pela forma como souberam estar presentes e junto do povo de Portalegre, que no fundo significa junto do povo de Portugal"

 

Disse ainda que se tratou de uma escolha “simbólica", como forma de mostrar que "Portugal nunca se esquece destas realidades, que muitas vezes são os ‘portugais’, não direi desconhecidos, mas menorizados, minimizados, ou nem sempre presentes naquilo que é a vontade coletiva”

Vir a Portalegre e estar em Portalegre 41 anos depois significa um reavivar do que foi um primeiro sinal da democracia portuguesa”, acrescentou.

Já em visita às atividades militares complementares nesta cidade, o Presidente da República foi questionado pelos jornalistas se as condecorações que vão ser prestadas segunda-feira aos militares, seriam uma forma de enterrar as condecorações atribuídas ao longo dos tempos, numa referência àquelas que foram conferidas a Joe Berardo. No entanto, Marcelo negou.

Não. Desde que iniciei o meu mandato, decidi que no 10 de junho só existiriam na cerimónia militar condecorações militares, e esta condecoração, ou estas condecorações, são o justo reconhecimento do papel das forças nacionais destacadas em missões que são essenciais para a pátria, mas também para o serviço da humanidade"

Disse ainda que a mensagem que quer transmitir é de agradecimento aos militares que contribuem para a "paz e estabilização política"

A mensagem é muito simples. É o país a agradecer a este heróis de hoje, aquilo que estão a fazer pela paz e pela estabilização política, e por uma verdadeira missão humanitária numa zona muito importante para todos"

Até chegar ao local do início das comemorações, Marcelo Rebelo de Sousa percorreu a pé algumas centenas de metros desde o hotel em que ficou instalado no centro de Portalegre. Fez esse percurso sempre rodeado de dezenas de cidadãos, tirando sucessivamente fotografias.

O Presidente da República afirmou que há "um compromisso" assumido de que as comemorações do Dia de Portugal, em 2020, terão lugar na Região Autónoma da Madeira, havendo a possibilidade de estendê-las à África do Sul.

Para o ano, as comemorações serão na Madeira - é um compromisso já assumido. Só não foi este ano por causa das eleições para a Assembleia Legislativa Regional da Madeira [em setembro próximo]"

Houve ainda tempo para uma breve nota relativamente ao jogo Portugal-Holanda, hoje às 19h45, do qual Marcelo se mostrou otimista e confiante na vitória da seleção nacional.

Portugal joga sempre para ganhar, mas eu penso que já ganhámos em termos de projeção internacional”

Na segunda-feira, 10 de Junho, pelas 11:00, está prevista a cerimónia comemorativa do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, presidida pelo Presidente da República.

Depois das intervenções do presidente da comissão organizadora, o jornalista e colunista João Miguel Tavares, natural de Portalegre, do chefe de Estado e da imposição de condecorações, segue-se o desfile de forças militares na avenida do Movimento das Forças Armadas e avenida Frei Amador Arrais.

Na cerimónia vai estar também presente o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, além, pela primeira vez, de uma representação das Forças Armadas de Cabo Verde no desfile.

Para as 18:00, está marcada a cerimónia militar do arriar da Bandeira Nacional, junto ao Monumento aos Mortos da Grande Guerra.

As comemorações do Dia de Portugal em Portalegre terminam, pelas 22:00, novamente com um concerto no jardim da avenida da Liberdade, com a Orquestra Ligeira do Exército.