Foi no Twitter que o presidente de Angola, João Lourenço, revelou que já conversou com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre o "feliz desfecho" do caso Manuel Vicente, depois do Tribunal da Relação ter decidido remeter o processo do ex-vice-presidente para Angola. 

Por sua vez, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, comunicou que falou por telefone com o seu homólogo angolano, João Lourenço, e os dois expressaram "a vontade de desenvolver a cooperação a todos os níveis".

"Os Presidentes da República de Angola e Portugal falaram esta manhã ao telefone, tendo reiterado as relações fraternas e de amizade entre os dois países, sublinhando a vontade de desenvolver a cooperação a todos os níveis", lê-se numa nota divulgada no portal da Presidência da República na Internet.

Em causa está a Operação Fizz, que envolve um processo em que o ex-vice-Presidente de Angola é suspeito de ter corrompido, em Portugal, Orlando Figueira, quando este era procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), do Ministério Público, que investiga a criminalidade mais grave, organizada e sofisticada, designadamente de natureza económica.

O caso assenta na acusação de que Manuel Vicente, também ex-presidente do Conselho de Administração da Sonangol, corrompeu o ex-procurador Orlando Figueira com o pagamento de 760 mil euros, para que este arquivasse dois inquéritos, um dos quais envolvia a empresa Portmill, relacionado com a aquisição de um imóvel de luxo no Estoril, em 2008.