O Presidente da República disse hoje que o Governo, ao colocar a partir de 15 de setembro o país em situação de contingência, está a prevenir os portugueses para diferentes situações, desde regresso de férias ou início de aulas.

Quanto aos fundamentos do anúncio do Governo [situação de contingência], o que entendi é que o Governo estava a prevenir os portugueses para um conjunto de razões que vão ser visíveis a partir do começo de setembro, desde o regresso de férias, começo das aulas, aumento do turismo, reinício das atividades mais diversas, inclusive desportivas”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado português falava aos jornalistas à margem da abertura da Feira do Livro do Porto.

Na opinião de Marcelo Rebelo de Sousa, “há que prever que pode haver fatores e causas que conduzam àquilo que é um pico ou picos de valores superiores em relação a infetados pela covid-19”.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 832 mil mortos e infetou mais de 24,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.815 pessoas das 57.074 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

/ JGR