O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, revelou esta terça-feira, em Bruges, que já desejou as melhoras ao futebolista Cristiano Ronaldo, que testou positivo à covid-19 mas “não tem sintomas rigorosamente nenhuns”.

Sim, já soube [do teste positivo], já tive a oportunidade de lhe desejar melhoras e também de falar com a Federação Portuguesa de Futebol, que tem um sistema de testes feito todos os dias. Os jogadores vêm, como é natural, de vários países, de diferentes proveniências, e, portanto, há um controlo imediato, instantâneo, da sua situação”, afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa adiantou que aquilo que lhe foi dito “é que não há mais nenhum jogador nem elemento da equipa técnica que teste positivo”, e que Cristiano Ronaldo “foi testado e que depois foi repetido o teste, para confirmar se era positivo, e era positivo de facto”.

Está assintomático, não tem sintomas rigorosamente nenhuns. De todo o modo, eu desejei as melhoras”, indicou.

O chefe de Estado, que se encontra na localidade belga de Bruges para inaugurar o ano académico do Colégio da Europa, que tem com patrono o antigo Presidente Mário Soares, acrescentou que na quarta-feira lá marcará presença no estádio de Alvalade, manifestando-se confiante numa vitória sobre a Suécia, em jogo para a Liga das Nações, mesmo sem a presença do capitão da seleção nacional.

“E amanhã[quarta-feira] lá estaremos, lá estaremos a apoiar a seleção, sabendo que já houve jogos, ainda muito recentes, nesta própria competição, em que Portugal jogou sem Cristiano Ronaldo e nem por isso deixou de ganhar e de fazer uma grande exibição”, comentou.

Mas, naturalmente, nós acompanhamo-lo [Cristiano Ronaldo] neste momento, sabendo como isso implica uma quarentena, implica um sacrifício pessoal, familiar e profissional”, prosseguiu.

Questionando sobre o facto de Ronaldo ter alegadamente quebrado uma quarentena a que estava sujeito em Itália, Marcelo Rebelo de Sousa escusou-se a comentar, alegando que não sabe pormenores.

“Não sei, esses pormenores já não sei, não me vou pronunciar agora. A notícia é muito recente”, disse.

Ainda assim, observou que “é evidente que aparentemente Cristiano Ronaldo veio de fora e aparentemente não é uma realidade que tenha a ver com a situação de Portugal, mas permite-nos sempre recordar aqui, na Bélgica, como na Europa em geral, como em todo o mundo, que este não é um fenómeno só português, é um fenómeno que atravessa fronteiras e é muito difícil, de facto, fechando fronteiras parar esse fenómeno”.

O capitão da seleção portuguesa Cristiano Ronaldo testou positivo à covid-19 e vai falhar o encontro de quarta-feira com a Suécia, da Liga das Nações, revelou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Cristiano Ronaldo foi dispensado dos trabalhos da seleção nacional após teste positivo para covid-19, pelo que não defrontará a Suécia. O internacional português está bem, sem sintomas e em isolamento”, lê-se numa nota publicada no site oficial do organismo.

Ronaldo é o terceiro jogador de Portugal a estar infetado com o novo coronavírus, depois de José Fonte e Anthony Lopes, com os três futebolistas a terem sido afastados do estágio da seleção nacional.

“Na sequência do caso positivo, os restantes jogadores realizaram novos testes esta terça-feira de manhã, todos com resultado negativo, e estão à disposição de Fernando Santos para o treino desta tarde, na Cidade do Futebol”, acrescentou a FPF.

/ RL