O líder histórico cubano, Fidel Castro, agradeceu na quarta-feira ao Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, a oposição de Portugal ao embargo económico a Cuba, noticiou o jornal oficial do Partido Comunista Cubano, Granma.

Na notícia na edição ‘online’, acompanhada por uma fotografia do encontro em Havana, na qual Marcelo e Fidel aparecem sorridentes, o jornal refere que o Presidente português destacou a aprovação pelas Nações Unidas, na quarta-feira, de uma resolução reclamando o levantamento do embargo económico dos Estados Unidos a Cuba.

Fidel Castro agradeceu o apoio de Portugal e destacou a “firmeza do povo” cubano, disposto a “não esquecer os elevados danos humanos e económicos provocados pelo bloqueio”.

O antigo chefe de Estado recordou o “caráter brutal e inumano” dessa política, que “o povo de Cuba jamais aceitará”, acrescenta o órgão oficial do Partido Comunista Cubano.

O jornal ilustra o “amistoso encontro” com uma fotografia em que Fidel Castro aparece com o tradicional fato de treino azul escuro, sentado, sorridente, com Marcelo à sua frente com fato completo da mesma cor e gravata azul clara. Na foto surge ainda uma terceira pessoa, sentada entre os dois.

A conversa incidiu sobre “diversos temas da agenda internacional e sobre as relações de amizade entre os dois países”, acrescenta o jornal.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou a aprovação, na quarta-feira, de uma resolução da Assembleia-geral das Nações Unidas, a 25ª, a favor do levantamento do embargo norte-americano a Cuba imposto em 1962, que contou pela primeira vez com a abstenção dos Estados Unidos.

A resolução, que é anualmente apresentada por Cuba foi aprovada por 191 dos 193 países-membros das Nações Unidas, com as abstenções dos Estados Unidos e de Israel.

A abstenção de Washington na votação na ONU segue os apelos do Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para que o Congresso norte-americano, dominado pelos conservadores do Partido Republicano, aprove o levantamento do embargo, na sequência da normalização de relações entre os dois países, que restabeleceram relações diplomáticas em julho de 2015.

Reforçar relações entre Portugal e Cuba

Os Presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e de Cuba, Raúl Castro, manifestaram na quarta-feira, em Havana, a intenção de reforçar as relações económicas, comerciais e de cooperação, de acordo com uma nota do Executivo de Havana.

De acordo com uma nota oficial cubana, o encontro decorreu em “ambiente de cordialidade”. Marcelo Rebelo de Sousa e Raúl Castro “dialogaram sobre o bom estado das relações bilaterais e ratificaram a vontade de ampliar as ligações” económicas, comerciais e de cooperação. O texto oficial foi também divulgado através da televisão estatal cubana.

No encontro, esteve presente a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, e o embaixador de Lisboa em Havana, Luís Faro. A delegação cubana era composta pelos ministros da Economia, Ricardo Cabrisas, e do Comércio Externo, Rodrigo Malmierca.

Marcelo Rebelo de Sousa iniciou na quarta-feira uma visita de Estado inédita a Cuba, a convite de Raúl Castro.

Além da componente institucional, esta visita tem também uma vertente cultural e dá especial atenção às relações económicas, incluindo o encerramento de um Fórum Empresarial Bilateral Portugal-Cuba, organizado pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Esta quinta-feira, o Presidente da República Portuguesa cumpre os últimos compromissos da visita oficial a Cuba. Depois de Cuba, Marcelo Rebelo de Sousa viaja para a Colômbia, onde vai participar na Cimeira Ibero-Americana, que vai decorrer entre sexta-feira e sábado.

Redação / AR