Marcelo Rebelo de Sousa considera que o ritmo de vacinação contra a covid-19 "é superior às expectativas". Razão essa pela qual acredita que o "equilíbrio sensato" é o caminho a seguir no processo de desconfinamento.

Em visita à Madeira para celebrar o Dia de Portugal, o Presidente da República não se quis pronunciar diretamente sobre o travão do desconfinamento em Lisboa, alegando que não viu a posição oficial, mas destacou que "não podemos facilitar, nem alarmar" no que toca às medidas para combater a pandemia. 

Nós não podemos encarar esta situação como quando não havia vacinas. É diferente", disse Marcelo, justificando ainda que os números de internados e de mortes pela covid-19 continuam baixos.

Por outro lado, disse Marcelo, "não podemos dizer que vale tudo e que não há regras sanitárias".

O Presidente acredita que "à medida que formos andando na vacinação, será mais fácil" e que "pode haver umas guinadas no sentido de alarmar, mas não faz sentido esse alarme"

Passaporte de vacinação "é boa notícia", mas se todos colaborarem

Marcelo Rebelo de Sousa saudou a aprovação do Parlamento Europeu da adoção do certificado digital covid-19, considerando-o "uma boa notícia". Contudo, alerta que ainda há muito a fazer.

É muito boa notícia, mas agora temos de fazer o trabalho que falta , que é fazê-lo ser aplicado pelo maior número de países", considerou.

O Parlamento Europeu aprovou a adoção do certificado digital covid-19, que permitirá aos cidadãos comunitários já vacinados, recuperados de uma infeção ou testados viajar sem restrições dentro da União Europeia a partir de 1 de julho.

Rafaela Laja