Após várias críticas, Marcelo Rebelo de Sousa decidiu reduzir o número de refeições que iria realizar com os familiares durante a época natalícia. 

Tendo visto que alguns epidemiologistas ficaram um bocadinho sensibilizados com o facto de eu ter muitas refeições, já reduzi a uma refeição. Já só haverá uma refeição em casa com cinco pessoas, portanto, é o mínimo dos mínimos que eu terei no Natal", disse o Presidente da República. 

Em entrevista à TVI, no Jornal das 8 de segunda-feira, Marcelo revelou que iria dividir o Natal em quatro refeições, durante os dias 23, 24 e 26 de dezembro. O objetivo era almoçar ou jantar com os diferentes agregados familiares em dias diferentes e com um limite de cinco pessoas por mesa. 

VEJA TAMBÉM:

No entanto, foram vários os especialistas que consideram o plano do Presidente da República um risco, apesar da tentativa de separação de pessoas. 

É bom termos noção de que este já é um nível de risco, apesar de haver uma tentativa de separação das pessoas, acaba por haver contacto próximo à mesa com um número elevado de pessoas", disse Vasco Peixoto, médico interno de saúde pública, à TVI24.

Já o médico de saúde pública Bernardo Gomes considerou que existiu mais uma falha de comunicação política por parte de Marcelo e garantiu que esta opção não era segura. 

Cláudia Évora