Marcelo Rebelo de Sousa não tem ações previstas até dia 18, exceto entrevistas e debates, e irá terminar a sua campanha de recandidatura ao cargo de Presidente da República em Celorico de Basto, como há cinco anos.

Em declarações à agência Lusa, o candidato presidencial adiantou que terá uma agenda ocupada sobretudo com entrevistas, cerca de meia dúzia, durante o período oficial de campanha para as eleições presidenciais de 24 de janeiro, que começa no domingo, dia 10, e debates com outros candidatos.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu que as autoridades sanitárias lhe recomendaram "que evitasse grandes aglomerações" durante 14 dias, por ter tido na segunda-feira um contacto considerado de baixo risco com um elemento da sua Casa Civil infetado com o novo coronavírus, pelo que até dia 18 não tem nenhuma ação de campanha prevista.

Questionado se irá encerrar novamente a sua campanha em Celorico de Basto, terra natal da sua avó paterna, Joaquina, o candidato apoiado por PSD e CDS-PP respondeu que sim, acrescentando que é nesse concelho do distrito de Braga que irá votar no dia 24.

O professor catedrático de direito, jubilado, de 72 anos, confirmou que é ele próprio o único assessor da sua campanha e que não tem qualquer equipa de apoio.

Marcelo Rebelo de Sousa entregou no dia 23 de dezembro mais de 12 mil assinaturas no Tribunal Constitucional para formalizar a recandidatura ao cargo de Presidente da República, anunciada duas semanas antes, no dia 07 desse mês, e prometeu fazer uma "campanha pela positiva", apresentando-se como "fator de estabilização, de pacificação e de compromisso".

Eu não irei fazer uma campanha atacando nenhum candidato nem nenhuma candidata. Direi exatamente aquilo que penso sobre o futuro do país", declarou, na altura, aos jornalistas.

Antigo presidente do PSD e comentador político, Marcelo Rebelo de Sousa venceu as eleições presidenciais de 24 de janeiro de 2016 à primeira volta, com 52% dos votos expressos.

Assumiu a chefia do Estado em 09 de março de 2016, sucedendo a Aníbal Cavaco Silva.

Ao longo do seu percurso de protagonismo público, Marcelo Rebelo de Sousa vincou a sua ligação a Celorico de Basto, concelho no interior do distrito de Braga, onde foi presidente da Assembleia Municipal, durante dois mandatos, de 1997 a 2005.

Frequentemente recorda essa experiência referindo que foi autarca no então mais pobre município de Portugal.

Foi em Celorico de Basto que apresentou a sua candidatura a Presidente da República em 09 de outubro de 2015 e que encerrou a campanha para as presidenciais de 2016, no dia 22 de janeiro, escolhendo como cenário a biblioteca municipal que tem o seu nome e para a qual contribuiu com milhares de livros e documentos.

/ HCL