A candidatura da coligação PSD/CDS-PP à Câmara de Marco de Canaveses informou esta sexta-feira ter apresentado queixa na Comissão Nacional de Eleições (CNE) e no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) contra o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, e contra a presidente da autarquia local, Cristina Vieira.

A queixa ocorre após a presença do ministro num comício naquele concelho do distrito do Porto, no qual, segundo a coligação, o ministro terá feito “falsas promessas, garantindo casas, uma estrada e um viaduto para o concelho”.

Num comunicado enviado à Lusa, a coligação adianta ter enviado “todas as declarações proferidas pelo governante na ação de campanha para investigação ao DIAP e CNE”.

Esta queixa da candidatura da coligação PSD/CDS-PP é a segunda enviada à CNE. No início de setembro, apresentou uma queixa após o lançamento da revista municipal “O Meu Marco”, em cuja capa consta uma imagem do ministro das Infraestruturas e Habitação junto à da atual presidente da câmara e recandidata pelo PS.

A agência Lusa tentou hoje apurar junto da CNE a deliberação sobre primeira queixa, mas não foi possível até ao momento. Contudo, fonte da direção do PSD de Marco de Canaveses indicou que “ainda aguarda decisão da CNE para as várias queixas apresentadas”.

O executivo municipal do Marco de Canaveses é composto por quatro eleitos do PS, dois do PSD e um do CDS-PP, atualmente na condição de independente.

Na luta pela liderança da autarquia está a atual presidente da autarquia, Cristina Vieira (PS), Maria Amélia Ferreira (PSD/CDS-PP), José Luís Sousa (CDU), Nuno Leite (Bloco de Esquerda) e Patrícia Magalhães (Chega).

Agência Lusa / JGR