O antigo Presidente da República Mário Soares disse esta terça-feira esperar que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, dê «um murro na mesa» na cimeira de líderes europeus, alertando para as dificuldades que as empresas enfrentam.

«Espero que ele dê um murro na mesa para explicar que as grandes e as pequenas empresas não podem ser tratadas assim, porque as grandes estão tão más como as primeiras», defendeu Mário Soares, citado pela Lusa, quando questionado sobre que posição espera do primeiro-ministro na cimeira europeia que começa na quinta-feira.

O antigo Presidente acrescentou que «já estão a atirar à Alemanha e à própria França e isso é complicado», numa alusão à decisão da agência de notação Standard and Poor`s de colocar 15 países do euro sob vigilância negativa, entre os quais a Alemanha e a França, com notação máxima (AAA), mas também Portugal.

Questionado pelos jornalistas sobre o aumento das taxas moderadoras para mais que o dobro, como anunciou o ministro da Saúde, Paulo Macedo, Mário Soares disse não ter tido «possibilidade de estudar o assunto», mas defendeu que o Governo «tem de explicar bem».

«É uma coisa que não sei explicar, quem tem de explicar bem é o Governo, para nós percebermos por que é que eles fazem isso e se têm um objectivo, se há uma estratégia, isso é que é importante», sustentou.
Redação