A candidata presidencial apoiada pelo BE Marisa Matias considerou esta sexta-feira que o insulto que André Ventura “fez às mulheres não diz nada sobre as mulheres, mas diz tudo sobre esse senhor”, mostrando-se feliz com a onda de solidariedade gerada.

Durante um comício na quarta-feira à noite, o presidente do Chega voltou a recorrer aos insultos pessoais para alguns dos seus concorrentes ao Palácio de Belém, tendo, em relação a Marisa Matias referido "os lábios muito vermelhos” da bloquista, o que gerou uma onda de solidariedade nas redes sociais sob o lema “#VermelhoemBelem”.

Para além de dirigentes, deputados e militantes bloquistas que publicaram vídeos ou fotografias com os lábios pintados de vermelho, também a opositora de Marisa Matias, Ana Gomes, fez esta manhã questão de gravar um vídeo, no carro, a pintar os lábios.

Esta sexta-feira, no final de uma ação de campanha no SOS Animal, em Lisboa, a dirigente e recandidata bloquista foi questionada sobre os insultos de que foi alvo por parte de André Ventura.

Fico mesmo muito feliz com a onda de solidariedade que se criou, não só em relação a mim, mas em relação a todos as mulheres que ainda hoje têm que ouvir este tipo de comentários”, começou por dizer.

No entanto, em relação ao comentário em si, Marisa Matias disse apenas uma frase, apesar da insistência dos jornalistas: “O insulto que esse senhor fez às mulheres não diz nada sobre as mulheres, mas diz tudo sobre esse senhor. É só isso que tenho a dizer”.

As eleições presidenciais, que se realizam em plena pandemia de Covid-19 em Portugal, estão marcadas para 24 de janeiro e esta é a 10.ª vez que os portugueses são chamados a escolher o Presidente da República em democracia, desde 1976.

Concorrem às eleições sete candidatos, Marisa Matias (apoiada pelo Bloco de Esquerda), Marcelo Rebelo de Sousa (PSD e CDS/PP) Tiago Mayan Gonçalves (Iniciativa Liberal), André Ventura (Chega), Vitorino Silva, mais conhecido por Tino de Rans, João Ferreira (PCP e PEV) e a militante do PS Ana Gomes (PAN e Livre).

/ CE