A ministra da saúde, em visita ao Hospital da CUF Tejo, em Lisboa, deixou elogios à forma como o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e os setores privado e social têm trabalhado "ombro a ombro" e lembrou que essa ligação deve manter-se mesmo depois da pandemia de covid-19 passar. 

Há muitas lições que vão sair desta pandemia e a necessidade de continuarmos a trabalhar ombro a ombro depois desta pandemia é seguramente uma delas. Se não fosse a nossa capacidade conjunta de falarmos, de nos organizarmos e construirmos pontos, seguramente não teríamos conseguido responder a muitos doentes, a muitas famílias e a muitas necessidades. Isso é aquilo que nos norteia, digam o que disserem".

Numa alusão ao processo de vacinação no setor privado, Marta Temido referiu que são já cerca de 100 mil profissionais de saúde vacinados e que o objetivo é acelerar este número. 

Hoje, o país tem cerca de 378 mil inoculações de vacinas. Além de cerca de 100 mil profissionais do SNS já vacinados, há também as vacinações que se iniciam e que esperamos acelerar nos vários parceiros do sistema de saúde".

 

Portugal tem hoje 3,6 pessoas vacinadas por cada 100 habitantes", acrescentou.

A ministra apontou a disponibilidade de vacinas como o principal desafio nesta fase. 

Marta Temido e António Costa visitaram, esta manhã, ao novo Hospital da CUF Tejo, em Alcântara, durante a qual assistiram ao processo de vacinação de profissionais de saúde do setor privado. 

Cláudia Évora