A vacinação contra a covid-19 já começou em Portugal, mais concretamente, no Hospital de São João, no Porto, com o diretor do serviço de doenças infeciosas, António Sarmento, a ser o primeiro

A ministra da Saúde marcou presença naquilo que considerou ser "um momento cheio de simbolismo" e deixou largos elogios à "capacidade de trabalhar em conjunto", ao longo de vários meses, dos profissionais de saúde, dos hospitais, dos conselhos de administração e outros sectores da sociedade. 

Simboliza a capacidade que tivemos de trabalhar em conjunto, em primeiro lugar. Porquê? Porque desde há largos meses que os profissionais de saúde, do Serviço Nacional de Saúde, e os profissionais de um conjunto de outros sectores da nossa sociedade, têm colaborado no sentido de garantir os melhores cuidados, a melhor assistência a quem precisa"

Marta Temido saudou ainda o esforço da União Europeia em disponibilizar apoios financeiros aos Estados-membros e de congregar esforços para a compra conjunta da vacina, bem como a sua distribuição e administração no mesmo dia. No entanto, aproveitou o momento para relembrar que não podemos facilitar uma vez que "o inverno ainda mal começou"

Todos estes factos invoco-os para dizer que a união nos torna mais fortes e é mesmo a única forma de ultrapassarmos as coisas difíceis que a vida nos traz. E estando certos que é muito ainda aquilo que temos por enfrentar, apelo a que consigamos manter esta capacidade de união, de trabalho em conjunto, de percebermos que o inverno ainda mal começou e que, se conseguimos chegar até aqui, foi porque conseguimos caminhar juntos, conseguimos perceber que a união é a melhor forma de ultrapassar as dificuldades e será, cem certeza, a melhor forma de sairmos desta pandemia".

Relembrou que este é um momento ainda de "grandes desafios para o nosso Serviço Nacional de Saúde" tanto durante o período de inverno, bem como da primavera. 

Vacinar em primeiro lugar os profissionais de saúde foi uma “escolha pragmática”

A ministra reiterou que vacinar em primeiro lugar os profissionais de saúde foi uma “escolha pragmática” e que em janeiro arranca o programa de vacinação em estruturas para idosos.

[Foi] uma escolha pragmática num momento que é apenas um primeiro momento de uma fase. Recebemos vacinas ontem [sábado] e vamos receber mais vacinas amanhã [segunda-feira] e vamos receber mais vacinas nas quatro semanas de janeiro. Estimamos que nessas semanas de janeiro passemos das vacinações a profissionais de saúde para as vacinações a estruturas residenciais para idosos”, disse.

Relativamente aos lares, disse que “o trabalho está avançado”, mas não se comprometeu com datas específicas.

Em janeiro”, repetiu quando questionada pelos jornalistas.

Portugal iniciou este domingo a primeira fase de vacinação contra a covid-19, mais de nove meses depois do primeiro caso registado no país, numa iniciativa que abrange ao longo dos próximos dois dias os 27 estados-membros da União Europeia.

primeiro lote de 9.750 doses da vacina desenvolvida pela Pfizer-BioNTech – a primeira a ser lançada no mercado, depois de ser autorizada pela Agência Europeia do Medicamento (EMA) - chegou no sábado e vai ser complementado na segunda-feira com um segundo contingente de 70.200 doses, que se traduz num acumulado de 79.950 doses para o arranque do plano de vacinação, destinado primeiramente a profissionais de saúde.

Os profissionais dos centros hospitalares universitários do Porto, Coimbra, Lisboa Norte e Lisboa Central são os primeiros a ser vacinados.

Cláudia Évora / Notícia atualizada às 11:54