A ministra da Saúde anunciou esta terça-feira que o mês de abril “terá sido um dos meses mais produtivos no Serviço Nacional de Saúde” na recuperação de consultas e cirurgias que ficaram atrasadas devido à pandemia de covid-19.

“É com satisfação que podemos dizer que não só os números da covid-19 estão mais baixos, mas também os números da atividade assistencial [não covid] estão a ser recuperados”, disse Marta Temido no final do debate na Assembleia da República sobre os dois últimos relatórios do estado de emergência, referentes aos períodos de 1 a 15 de abril e de 16 a 30 de abril.

A ministra avançou que “o mês de abril terá sido um dos meses mais produtivos do SNS, tendo conseguido ultrapassar mais de dois milhões e meio de consultas a mais nos cuidados de saúde primários, mais de 400 mil consultas a mais na área hospitalar e mais de 32 mil cirurgias a mais na atividade hospitalar”.

Marta Temido afirmou que espera ser a “última vez” que o Governo discuta no parlamento o estado de emergência, mas alertou que, para tal, é preciso “continuar a criar condições reais e objetivas para que os serviços públicos estejam preparados para responder”.

“Como é que isso se faz? Faz-se com aprovações do Orçamento do Estado como aquele que aprovamos há uns meses, faz-se reconhecendo que a tempestade não desapareceu por completo e que depende de cada um nós continuar a trabalhar”, precisou, destacando que os profissionais de saúde “têm-no feito todos os dias”.

Em resposta às críticas dos deputados sobre as omissões do Governo nos relatórios do estado de emergência, a ministra afirmou que “não é correto dizer-se que se faz tábua rasa de tudo o que correu menos bem”.

. / RL