Militantes do PSD desentenderam-se na madrugada desta quinta-feira junto à sede distrital de Lisboa, após verificar-se a existência de dúvidas sobre o número de listas concorrentes à comissão política distrital da Área Metropolitana, informou a PSP.

“[…] Quando me encontrava de serviço de Patrulhamento Auto na área adstrita à 24.ª Esquadra [Campo de Ouriqu], […], desloquei-me ao local da ocorrência onde havia notícia de desentendimento entre militantes do Partido Social Democrático (PSD)”, lê-se num auto de notícia, ao qual a agência Lusa teve acesso.

De acordo com a PSP, foi feita uma participação, pelas 00:30 de hoje, em que o denunciante Pedro Fonseca disse ter-se dirigido à sede distrital do PSD, na terça-feira, para “entregar a lista de candidatura à comissão política do PSD”.

O prazo para a entrega de candidaturas terminava às 00:00 de quarta-feira.

Mas, esta quinta-feira, depois das 00:00, Pedro Fonseca “dirigiu-se à sede a fim de aceder às restantes listas candidatas, ao que verificou que não existiam quaisquer listas além da sua”.

A funcionária responsável pelas instalações da sede do partido, adianta a PSP, confirmou “os factos relatados”.

Na terça-feira, Jorge Humberto Ramos Fernandes havia entregado, pelas 19:43, uma lista candidata à Comissão Política Distrital da Área Metropolitana de Lisboa e à Mesa da Assembleia Distrital, segundo a declaração de entrega de documentos do organismo.

“No estrito cumprimento do Regulamento Eleitoral do PSD, ontem dia 03 de novembro de 2021, às 19:43, eu acompanhado por mais três companheiros e uma companheira entregámos na sede do PSD Distrital de Lisboa a candidatura Lista X, para concorrer às eleições para a Comissão Política e para a Assembleia da Distrital”, escreveu Jorge Humberto na sua página do Facebook.

O militante adiantou que “até à meia-noite [quarta-feira] não tinha dado entrada nenhuma outra candidatura às eleições do próximo sábado”, reforçando que “a Lista X […] é a única lista que deve constar nos boletins de votos”.

“[…] Confirmei por telefone (registado) de que para as eleições marcadas para este sábado […], para os órgãos da Distrital de Lisboa do PSD, não houve mais listas a serem apresentadas, pelo que a Lista X é a única lista candidata às eleições para a Distrital de Lisboa do PSD."

A distrital de Lisboa do PSD, a segunda maior em número de militantes, vai a votos no sábado com dois candidatos, o atual presidente e recandidato Ângelo Pereira e o ex-vice-presidente da concelhia da Amadora Jorge Humberto.

O presidente da mesa da Assembleia Distrital de Lisboa, o deputado e líder da concelhia da Amadora Carlos Silva, disse hoje à Lusa que foram entregues duas listas à distrital, a A, encabeçada por Ângelo Pereira, que já tinha anunciado no início de outubro a sua recandidatura, e a X, de Jorge Humberto, que formalizou o processo na quarta-feira.

Caso não sejam encontradas irregularidades nas listas, haverá dois candidatos à eleição que decorre no sábado entre as 15:00 e as 22:00, no mesmo dia do Conselho Nacional do PSD, marcado para Aveiro às 15:30.

Ângelo Pereira foi eleito pela primeira vez presidente da distrital de Lisboa do PSD em novembro de 2019 com 82% dos votos, derrotando a vereadora em regime de substituição da Câmara Municipal de Lisboa Sofia Vala Rocha, com 18%.

No último mandato autárquico, Ângelo Pereira, que tinha sido candidato pelo PSD à Câmara de Oeiras contra Isaltino Morais, exerceu as funções de vereador no executivo municipal. A nível nacional, nas últimas eleições diretas para a liderança do PSD em 2020, Ângelo Pereira apoiou Miguel Pinto Luz, que ficou em terceiro lugar, e, na segunda volta, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro, que seria derrotado pelo atual presidente, Rui Rio.

Jorge Humberto, que apoiou nas últimas diretas o atual presidente Rui Rio, demitiu-se em maio da vice-presidência da concelhia da Amadora, depois de o partido ter anunciado Suzana Garcia como candidata à presidência desta Câmara.

/ BCE