A ministra de Estado e da Presidência esteve esta quinta-feira no Jornal das 8, da TVI, no mesmo dia em que o Governo aprovou as medidas relativas ao estado de emergência, em vigor devido ao surto de Covid-19.

Mariana Vieira da Silva começou por dizer que estamos numa situação ímpar, algo que "nunca vivemos".

Esta crise vai ser longa e o nosso objetivo é que ela não pressione excessivamente o Serviço Nacional de Saúde", afirmou.

Relativamente à evolução da doença, a ministra vai ao encontro das previsões da Direção-Geral da Saúde, referindo que o pico do novo coronavírus em Portugal deverá ser atingido por volta da terceira semana de abril.

Todas as semanas adaptaremos as medidas à situação", referiu.

A governante admite que a forma como o surto é controlado muda de dia para dia, à medida que se vão fazendo atualizações, acrescentando que Portugal tem disponíveis "nove mil testes por dia". Mariana Vieira da Silva acrescentou ainda que a prioridade é testar os mais idosos e os grupos de risco.

A ministra ressalvou que é necessário colocar em prática todas as medidas de contingência, de forma a ter extrair uma maior eficácia da situação de confinamento.

/ AG