A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social afirma que não desvalorizou os surtos de covid-19 que têm surgido nos lares portugueses. A polémica surgiu na sequência das declarações de Ana Mendes Godinho ao Expresso, nas quais disse que a dimensão da doença naquelas instalações "não é demasiado grande".

Através de um comunicado enviado pela tutela este sábado, a governante refere que o assunto foi "descontextualizado de forma grave".

A frase escolhida para título foi descontextualizada de forma grave. À pergunta ‘O pior ainda não passou no caso dos lares?’ a resposta dada foi a seguinte: ‘Tivemos 365 surtos [em abril] e temos 69 agora! Claramente, temos menos incidência. Temos 3% do total dos lares e temos 0,5% das pessoas internadas em lares que estão afetadas pela doença! A dimensão não é demasiado grande em termos de proporção. Mas, claro, que isto não significa que não devamos estar preocupados e mobilizados para reforçar a guarda’", refere o comunicado.

A ministra vinca que a incidência de covid-19 em lares do país é, hoje, menor que no passado, informando que o novo coronavírus chegou a 3% dos lares portugueses, afetando 0,5% dos seus utentes.

Para Ana Mendes Godinho, a frase "a dimensão da Covid-19 nos lares não é demasiado grande em termos de proporção" foi descontextualizada, afirmando que as suas palavras não significam que o país não deva estar "preocupado e mobilizado".

António Guimarães