no programa de Governo

“No prazo da legislatura iremos abrir pelo menos mais 100 unidades de saúde familiar [USF]. É um objetivo modesto mas é também um objetivo claro de aproximação às ideias que vinham sendo preconizadas pelo PS, mas acima de tudo tornar claro, para que não haja dúvidas em nenhuma mente, de que nós mantemos uma aposta muito firme na construção de USF e no modelo de cuidados primários. Aliás o programa tem mais do que uma referência aos cuidados primários”, respondeu aos jornalistas.






“O que nós entendemos é que no conjunto das prioridades que era preciso elencar no nosso programa, o Ministério da Saúde e o Governo no seu todo entendeu que essa não era seguramente a matéria mais relevante neste momento para indicar no programa e retiramos da primeira linha do programa do Governo porque esse não é neste momento o problema mais importante”, justificou, acrescentando que “o que havia para fazer foi feito, ou seja, a devolução da gestão de quatro hospitais” já foi feito.