O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, considera que para evitar situações de baixo nível da água no rio Tejo é preciso construir uma nova barragem, junto à fronteira. As declarações do governante foram feitas esta segunda-feira no Jornal das 8 da TVI.

Temos de, num afluente do Tejo, o mais próximo possível da fronteira, e parece-me claro que é o Rio Ocreza, (…) temos de construir uma barragem para podermos regularizar os caudais a partir de Portugal", afirmou.

Matos Fernandes garantiu que está preocupado com a seca que afeta o Rio Tejo e notou que Portugal está muito dependente da Convenção de Albufeira.

O nosso Tejo neste momento está muito dependente daquilo que é a Convenção de Albufeira e da forma como ela é gerida", frisou.

O governante explicou que a quantidade de água no Tejo em território português é em tudo comparável à deste período. O problema está na quantidade de água a montante da Barragem de Cedillo, em Espanha.

No Tejo que está para cá da Barragem de Cedillo a quantidade de água que tem estado no rio é uma quantidade em tudo comparável com a deste período, uma vezes há mais outras vezes há menos. A montante de Cedillo há de facto um volume de água muito pequeno, num Tejo que já não é gerido por nós, que tem consequências em dois dos afluentes desse mesmo rio."

Matos Fernandes disse ainda, que nos próximos meses, Portugal vai estar dependente das descargas das barragens espanholase e também da meteorologia.