Esta segunda-feira, Espanha passou a exigir a quem viajar de Portugal por via terrestre um teste negativo à covid-19, certificado de vacinação ou de recuperação da doença, segundo o Consulado Geral de Espanha em Portugal.

Naquilo que pode ser visto como algo que “dificulta a vida dos portugueses”, o ministro dos Negócios Estrangeiros sublinha que, se ele foi apanhado de surpresa, também o Executivo espanhol não tinha completo conhecimento antecipado da decisão.

Se se pode dizer que o ministro dos Negócios Estrangeiros foi apanhado de surpresa, também membros do governo de Espanha com quem falei foram apanhados de surpresa”, admite, em entrevista à TVI.

Santos Silva volta a ameaçar com medidas recíprocas e esclarece que aquilo que foi acordado com os parceiros vizinhos “era facilitar a entrada de estrangeiros em Espanha, não de dificultar a entrada pela fronteira terrestre”.

Assim, o ministro fala naquilo que é um “erro técnico” e sublinha que a nova alteração “não é conforme com a boa prática de gestão conjunta”.

Augusto Santos Silva salientou ainda que já foram pedidos esclarecimentos às autoridades espanholas e que aguarda por uma resposta, já que a resolução da DGS de Espanha isenta da obrigação de apresentar teste negativo os trabalhadores transfronteiriços e os residentes a menos de 30 quilómetros da fronteira.