O deputado Nuno Melo (CDS/PP) disse esta quarta-feira que vai «questionar» o primeiro-ministro sobre a permanência do magistrado Lopes da Mota na Eurojust uma vez que o ministro da Justiça não deu «nenhuma resposta» no Parlamento e «tem de haver responsabilidades» neste caso ligado ao Freeport, escreve a Lusa.

Falando aos jornalistas à saída da Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, onde Alberto Costa foi ouvido no âmbito de um requerimento potestativo do CDS/PP, Nuno Melo considerou que o ministro da Justiça não respondeu às questões dos deputados, «refugiando-se em argumentos jurídicos formais para não assumir as responsabilidades políticas, de dizer aquilo que o país esperava».

Freeport: «Não seria correcto afastar» Lopes da Mota

O deputado referiu que não é «normal» que o ministro aceite que uma investigação criminal em Portugal passe a ter «menor eficácia» porque deixou de contar com a colaboração da Eurojust, numa altura em que o presidente deste organismo de cooperação judiciária é alvo de um processo disciplinar, sem que daí sejam retiradas quaisquer «consequências», contrariando assim aquilo que havia sido prometido por Alberto Costa em anterior audição parlamentar.
Redação