«Nós temos a Comissão Europeia a mexer-se com uma estratégia de investimentos e o nosso governo a torcer o nariz. Nós temos a Comissão Europeia com uma nova leitura mais flexível, a tal leitura inteligente que os socialistas europeus e também os socialistas portugueses há muito reclamavam, uma leitura que procura ler o pacto de estabilidade ao mesmo tempo como pacto de crescimento e temos o nosso primeiro-ministro a dizer, no último debate quinzenal, que não estava de acordo e que preferia estar isolado, se isolado fosse defender os interesses nacionais, não sei como é que é defender os interesses nacionais, torcer o nariz a medidas europeias que beneficiam direta e indiretamente Portugal», disse na TVI24.



«Porque é que o dr.Passos Coelho não é capaz ou não quer olhar para estes novos sinais da Europa, porque ele está preso do programa da troika, está preso daquela teoria, ainda se deve lembrar, da austeridade expansionista», lembrou.