A ministra de Estado e da Presidência considerou que este é o momento de aproximar posições sobre o Orçamento do Estado, sublinhando que os diplomas aprovados esta quinta-feira em Conselho de Ministros na Saúde, Trabalho e Cultura fazem essa aproximação.

No briefing do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva foi questionada pelos jornalistas sobre as negociações com os partidos sobre o Orçamento do Estado para 2022, num momento em que o documento não tem ainda a viabilização garantida.

Comentários ou reações a declarações sobre Orçamento do Estado não farei porque este é o momento de nos aproximarmos, de olharmos para as propostas uns dos outros e de fazermos essa negociação”, defendeu.

Em relação aos diplomas hoje aprovados na reunião do executivo, a ministra sublinhou que “todos eles fazem parte de uma agenda em que o Governo estava a trabalhar”.

Mas em todos eles, na saúde, na cultura, no trabalho são feitas aproximações a preocupações que os partidos tinham manifestado nos últimos meses. Todos estes três temas fazem parte de temas que temos negociado e em todos os três diplomas há aproximações como temos feito e como dissemos que íamos fazer nas matérias orçamentais”, enfatizou, sem mencionar em concreto a votação da proposta de Orçamento do Estado para 2022, que poderá vir a depender da aprovação de Bloco de Esquerda e PCP.

/ AG