Os quatro projetos de lei do PAN, BE e PEV para a proibição da caça à raposa e ao saca-rabos foram hoje chumbados no parlamento com votos contra do PSD, PS, CDS-PP e PCP.

O conjunto de iniciativas tinha também a sustentá-las uma petição pública com cerca de 20 mil assinaturas de cidadãos no sentido de acabar com a possibilidade daquela atividade autorizada em Portugal entre outubro e janeiro, inclusivamente com recurso a paus e com matilhas de até 50 cães.

O diploma apresentado pelo PEV, para excluir a raposa e o saca-rabos da lista de espécies cinegéticas, teve também votos favoráveis de BE e PAN e do deputado socialista Paulo Trigo Pereira, enquanto os seus colegas de bancada Pedro Delgado Alves e Luís Graça se abstiveram.

O projeto de lei do PAN, especificamente para impedir a caça à raposa "com recurso à paulada e a matilhas", obteve ainda votos a favor do BE e de Paulo Trigo Pereira e do democrata-cristão João Rebelo, tendo "Os Verdes" e quatro deputados do PS optado pela abstenção.

A outra iniciativa do PAN, a fim de excluir aqueles animais da lista de espécies cinegéticas, teve votos a favor também do BE e do PEV e a abstenção dos socialistas Pedro Delgado Alves, Paulo Trigo Pereira e Luís Graça.

O diploma do BE, igualmente para abolir a caça às raposas e saca-rabos e retirá-los da lista de animais de caça, foi acolhido por PEV e PAN e pelo socialista Paulo Trigo Pereira, enquanto Pedro Delgado Alves e Luís Graça se abstiveram.

Também com votos contra de PSD, PS, CDS-PP e PCP foram chumbados um projeto de lei e um projeto de resolução sobre cavalos e burros e outro gado similar, no sentido de melhorar o sistema de identificação da função daqueles animais e sua utilização em veículos de tração animal.

No primeiro, o BE votou ao lado do PAN, enquanto PEV e os deputados Paulo Trigo Pereira, Pedro Delgado Alves, Luís Graça e João Rebelo se abstiveram. No segundo, o BE, o PEV e os deputados Paulo Trigo Pereira, Pedro Delgado Alves, Luís Graça e João Rebelo (CDS-PP) votaram a favor.