O PSD considerou esta terça-feira que o atual confinamento terá de ser prolongado até “meados, fim de março” por o Governo “ter sido frouxo” e “não ter agido a tempo” no combate à covid-19.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, depois da reunião por videoconferência com epidemiologistas que decorreu hoje de manhã, o deputado e dirigente do PSD Maló de Abreu considerou, ainda assim, que do encontro saiu “um sinal de esperança” com a diminuição da curva de contágios por covid-19 e reiterou a necessidade de “testar mais e isolar mais”.

Como se viu, por não se ter agido a tempo, ou se ter sido frouxo como foi este Governo, possivelmente este confinamento, dito pelo próprio primeiro-ministro, vai prolongar-se até ao fim de março, o que tem efeitos graves na economia portuguesa”, criticou.

Se nos falam em meados, fim de março - e como os prazos que o Governo apresenta para tudo nunca são cumpridos - nada de bom nos espera destes prazos”, acrescentou.

/ JGR