O PCP defendeu esta sexta-feira o "regresso gradual do público a todos os eventos desportivos", com salvaguarda das normas de saúde", e a criação de um programa urgente para atenuar os prejuízos do movimento associativo popular devido à crise pandémica.

Num comunicado "sobre a gradual normalização das competições desportivas e o regresso do público", os comunistas consideram "urgente a implementação de um conjunto de medidas" para enfrentar as dificuldades financeiras resultantes da crise da covid-19.

O PCP propõe "um programa de apoio extraordinário e urgente ao movimento associativo popular que possibilite a compensação dos prejuízos financeiros e a retoma gradual e segura das suas atividades", alegando que a sua sobrevivência está "posta em causa" com "o encerramento de centenas de associações e a dispensa forçada de funcionários, treinadores, técnicos e formadores".

As restrições impostas à atividade desportiva e à presença de público nos eventos desportivos afetaram gravemente o movimento associativo popular, o desporto de competição, a formação desportiva e o desporto de alto rendimento com consideráveis perdas financeiras e impactos na economia nacional", lê-se no texto.

 

Para o PCP, "é a própria atividade desportiva de massas que está em risco, com gravosas consequências para centenas de milhares de pessoas, em especial os jovens".

Os comunistas pedem também "um programa de incentivo à prática desportiva e à normalização gradual das competições" e a "auscultação das entidades nacionais do associativismo desportivo de forma a ser criada uma nova normalidade com quem melhor conhece o território e a realidade desportiva".

Assegurando as medidas de prevenção sanitária, exigindo que o SNS seja dotado dos meios indispensáveis para responder à covid-19 e ao conjunto da resposta nos outros domínios da saúde, o PCP reafirma que a fruição da cultura e das diferentes expressões da vida são essenciais à saúde, ao bem-estar e à concretização dos direitos dos trabalhadores e do povo", conclui a nota do gabinete de imprensa do PCP.

/ LF