Esta sexta-feira, no programa O Dilema, da TVI24, estiveram reunidos Rogério Alves, José Luís Carneiro, David Justino e Miguel Guedes para debater o estado da Democracia em Portugal. 

David Justino considera que a democracia portuguesa está confrontada com “desafios inesperados”. Para o sociólogo, a pandemia veio “expor algumas fragilidades que temos” e levantou algumas dúvidas sobre como Portugal encara o futuro.

Não creio que o regime democrático esteja em perigo. Não creio que o regime democrático esteja pior do que estava há dez anos”, explicou. “Temos pela frente uma luta contra o tempo, este regime saído do 25 de abril vai fazer meio século e as instituições tendem a degradar-se com o tempo”.

Para José Luís Carneiro, do partido socialista, mesmo nos momentos mais críticos da pandemia “fomos capazes de salvaguardar os valores democráticos”. No entanto, sublinha que Portugal vive um período de muitos desafios e não põe de parte que as liberdades possa vir a ser postas em causa.

O antigo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva afirmou que Portugal vive uma democracia “amordaçada”, Rogério Alves recusou essa noção e considera que a democracia no país está “amestrada”, apesar termos todos os critérios para ser uma democracia livre.

A Democracia não é um ritual sucessivo de eleições temperado de liberdade de expressão, que são coisas fundamentais, mas, sendo essenciais, não são fundamentais”, explicou.

Para o advogado, Portugal “abusou” do decreto do estado de emergência, banalizando o estado de emergência, algo que acredita poder levar à degradação da democracia.

Redação / JGR