A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira recomendações ao Governo que pedem a criação de um registo nacional de diabetes tipo 1, a partir de projetos de resolução apresentados pelo BE, PCP, PEV e PAN.

Os projetos de resolução - sem força de lei - foram aprovados por todas as bancadas, à exceção do deputado único da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, que votou contra o do PCP, absteve-se nos do BE e do PEV e apenas se juntou à unanimidade no do PAN.

Estes projetos de resolução surgiram na sequência de uma petição com cerca de 4.300 assinaturas lançada em fevereiro de 2020 pela Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal.

Apesar do aumento da sua incidência e prevalência, não existe em Portugal um programa estruturado e coerente que aborde a diabetes tipo 1 em todas as idades”, alertava o texto da petição, pedindo à Assembleia da República que “recomende ao Ministério da Saúde a concretização de um registo nacional de diabetes tipo 1 atualizado anualmente”.

Segundo a Federação Internacional de Diabetes, estima-se que, em todo o mundo, cerca de 1,1 milhões de crianças e adolescentes tenham diabetes tipo 1, sendo uma das doenças crónicas mais comuns na infância.

As pessoas com este tipo de diabetes necessitam de injetar insulina diariamente e monitorizar os níveis de glicemia.

Agência Lusa / NM