Miguel Macedo, do PSD, acusa o primeiro-ministro de ter perdido «toda a credibilidade desde a semana passada» quando foi anunciado no Programa de Estabilidade e Crescimento 4.



José Sócrates responde: «Houve um único português a quem eu falei das novas medidas antes de as apresentar no Conselho Europeu. Foi o líder do seu partido. E o que é que ele fez? Esperou para o final do Conselho para atacar as medidas».



O primeiro-ministro apontou o PSD como o «responsável pela crise» acusando-o de ter adoptado uma «atitude leviana de inviabilizar tudo o que foi apresentado no Conselho Europeu, sem ter em conta as consequências para o pais e para a Europa».



José Sócrates garantiu que tudo fará para evitar um pedido de ajuda externa, tendo obtido um reforço de confiança dos pares no Conselho Europeu, «um compromisso de confiança que no minuto a seguir os senhores [social-democratas] tentaram destruir». Uma acusação que elevou a bancada do PS que, em pé, aplaudiram as palavras do líder do seu partido.



«Esta crise é evitável. Não deve acontecer. É negativo para Portugal e para a Europa. Já disse que uma crise política, neste momento, colocará Portugal numa posição de grande fragilidade e torna mais difícil para o nosso país cumprir aquilo que até agora fez com sucesso ¿ evitar um pedido de ajuda».
Redação / Rita Leça