O debate das moções de censura do PCP e do BE está agendado para quinta-feira, às 10 horas.

Esta manhã, na visita a uma escola, Francisco Louçã disse que o primeiro-ministro «não pode continuar a esconder-se» e deve dar explicações ao país sobre as medidas alternativas à TSU já apresentadas e aprovadas em Bruxelas.

«Não pode ser de outra forma, porque se as medidas foram aprovadas há quatro dias e representam um enorme aumento de impostos que vai tirar um salário a toda a gente, ou algo desse tipo, então o primeiro-ministro não pode continuar a esconder-se», defendeu o líder do BE, citado pela Lusa.

Francisco Louçã disse ainda que, depois de já ter falado em Bruxelas, «seria inaceitável e absurdo que o primeiro-ministro andasse a fugir ao país».

«Ele tem que explicar ao país e tem de ser ele, não pode mandar recados por Borges ou por algum outro figurante. Tem de ser o primeiro-ministro a explicar aquilo que propõe».

A atitude de Pedro Passos Coelho é já uma «muito boa razão» para a moção de censura que vai ser discutida na quinta-feira.

«Um Governo que foge é irresponsável. Um governo que agrava a recessão é irresponsável. Um Governo que mente é irresponsável. Um Governo que provoca tanta dificuldade à vida das pessoas é irresponsável e deve ser demitido», escreve a Lusa.

A posição do PS

E quanto à posição do PS, se apoiará ou não a moção, Francisco Louçã preferiu «deixar a discussão para quando se pronunciarem». Já Jerónimo de Sousa avisa que se PS não subscrever moção «fica em posição fragilizada»

Redação