O secretário-geral adjunto do PS José Luís Carneiro defendeu esta segunda-feira a renovação do estado de emergência devido à pandemia da covid-19, apelando à responsabilidade coletiva durante os próximos dias na retoma de algumas atividades.

À saída de uma audiência com o Presidente da República sobre a renovação do estado de emergência, José Luís Carneiro disse concordar com um novo estado de emergência de oito dias, até ser possível reavaliar a situação epidemiológica e os efeitos da época festiva.

Essa avaliação está agendada para dia 12 de janeiro em reunião no Infarmed e só aí, referiu José Luís Carneiro, será possível ter “informação mais detalhada sobre os efeitos desta relativa proximidade que se pôde constituir entre o Natal e a passagem do ano”.

Em declarações aos jornalistas, o socialista aproveitou também para apelar a responsabilidade coletiva durante os próximos dias, no âmbito da retoma de algumas atividades, sobretudo o regresso às aulas.

Questionado sobre se o PS apoiará eventuais restrições como o recolher obrigatório no dia das eleições presidenciais, em 24 de janeiro, José Luís Carneiro considerou que ainda é precoce discutir o assunto.

“É necessário aguardar pela avaliação das autoridades. Nessa altura, ter-se-á que avaliar os termos em que se dá conteúdo de política ao novo estado de emergência, se vier a ser assim ponderado”, explicou.

/ HCL