O antigo deputado constituinte e fundador do PS João Gomes, de 86 anos, morreu na madrugada de terça-feira, refere uma nota esta quarta-feira publicada no portal dos socialistas na Internet.

É com consternação que o PS toma conhecimento do falecimento do fundador do partido e antigo deputado à Assembleia da República João Gomes", lê-se na mesma nota.

João Gomes nasceu em Lisboa em 1934, foi deputado constituinte em 1975, deputado à Assembleia da República pelo círculo de Lisboa nas legislaturas seguintes até 1985, tendo ainda integrado o II Governo Constitucional (1977/1978) liderado Mário Soares enquanto secretário de Estado da Comunicação Social.

Provedor da Santa Casa da Misericórdia entre 1983 e 1986 e presidente da Caixa de Previdência do Pessoal das Companhias Reunidas Gás e Eletricidade (EDP) entre 1986 e 2000, João Gomes destacou-se também no plano profissional pelo exercício de funções na comunicação social.

João Gomes foi diretor dos jornais Diário de Notícias e Portugal Hoje, tendo também participado ou exercido funções na revista Flama, nos jornais República, Luta, Diário de Lisboa e Correio do Minho.

Na década de 90, segundo o PS, João Gomes teve uma passagem pelo ensino na Universidade de Aveiro, onde lecionou a cadeira de Turismo Internacional. No domínio religioso, foi presidente diocesano da Juventude Operária Católica de Lisboa e, mais tarde, presidente ao nível nacional da estrutura.

Antes do 25 de abril de 1974 e na ação de resistência ao regime do Estado Novo, João Gomes participou na Revolta da Sé, em 1959 - ato que o levou a estar preso nas cadeias de Aljube e Caxias. De acordo com o PS, voltou a ser preso pela PIDE mais tarde a propósito da constituição da PRAGMA - Cooperativa de Difusão Cultural e Ação Comunitária, SCRC.

"À família enlutada e aos amigos mais próximos, o PS endereça as suas mais sentidas condolências neste momento de dor e de perda para todos os socialistas", refere-se ainda na nota publicada no portal deste partido.

/ CE