O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou esta sexta-feira que o «melhor seguro de saúde é o público» mas que o «Estado não tem que ser o único prestador de serviços de saúde» e que é intenção do PSD garantir o seguro de saúde «eminentemente público», noticia a Lusa.

De visita ao Hospital Narciso Ferreira, em Riba de Ave, o líder do PSD elogiou o papel das misericórdias no panorama de prestação de cuidados de saúde em Portugal.

«Não ignorámos o papel notável das misericórdias no apoio aos mais desfavorecidos que o Estado não conseguiria fazer sozinho», afirmou.

Passo Coelho reconheceu que «o melhor seguro de saúde é o público» e que os «riscos» que este seguro cobre «são melhor suportados pela colectividade».

Mas, afirmou, «isto não significa que não existam vários prestadores de serviços privados, nem que o Estado tem que ser o único prestador de serviços de saúde».

Segundo o líder social-democrata, «as pessoas devem poder escolher».

«Pretendemos que as pessoas possam ter seguro eminentemente público mas que possam escolher», adiantou.

Para Pedro Passos Coelho «ganhamos todos em qualificar os privados».

O Hospital Narciso Ferreira está sob a alçada da Misericórdia e existe desde a década de 40 do século XX.

Actualmente emprega mais de 270 pessoas e serve cerca de 120 mil utentes de cinco concelhos.

Depois da visita ao Hospital em Riba de Ave, Passos Coelho visitou ainda a fábrica de pneus Continental, em Lousado, Vila Nova de Famalicão.
Redação